Superstições Pictas


Superstições Pictas

Os celtas da Escócia, conhecidos por “pictos”, isto é, “os pintados”, legaram aos escoceses diversas crenças que ainda hoje são preservadas e observadas naquele país.

Para não atrair e para se proteger da má sorte

Para fazendeiros escoceses, a má sorte cairá sobre suas terras, criações e família se um 

estranho contar seu gado ou seus filhos. Por isso, quando um estranho pergunta “Quantos filhos você tem?”, ao responderem incluem na resposta “Abençoados sejam”, como forma de quebrar o mau olhado.
Haverá má sorte para os pescadores se um estranho pular sobre uma vara de pescar que esteja na areia da praia ou sobre os remos do barco, cordas ou velas quando o barco e os pescadores estão prestes a zarpar para pescar. Então, os pescadores apressam-se em desfazer este mau agouro, fazendo o estranho voltar para trás percorrendo exatamente o mesmo caminho que fez e voltar, desta vez circundando os equipamentos ao invés de pular sobre eles. E se durante a pescaria o pescador contar quantos peixes já pegou, não pegará mais nenhum!
Atrairá para si a má sorte aquele de abandonar uma procissão – de um funeral, casamento ou daqueles que viajarão de barco, a menos que a pessoa o faça saindo pelo lado direito.
É sinal de má sorte ouvir um cuco, avistar um potro ou um caracol antes do desjejum, segundo uma antiga rima em gaélico:

“Chunnaic mi na searrachan ’sa chulaobh rium,
Chunnaic mi na t-seilcheag air na lic luim;
Chual mi’ a’ chuag gun ghreim ‘nam bhroinn,
Is dh’ aithnich mi fein nach rachadh a’ bhliadhn’ so leam.”

O significado, segundo Raymond Buckland, é:

“Com suas costas viradas para mim, eu vi o potro,
E o caracol na bandeira descoberta movendo-se tão devagar;
Sem ter provado a comida, oh, o cuco eu ouvi,
Então, julguei que o ano não seguiria prosperamente.”

Em Shetland havia uma superstição que dizia atrair má sorte salvar um homem do afogamento (obviamente, a má sorte era do afogado!).
Ainda hoje é considerado mau agouro jogar água fora antes do nascer do Sol e depois do pôr do Sol.
Dizem que traz má sorte abrir uma cova num domingo, pois, caso o fizerem, outra será aberta na mesma semana para outro membro da família do morto. E se o cadáver não enrijecer, é sinal de morte na mesma família até o final do ano.
O uivo de um cão à noite e o pouso de um corvo ou pombo sobre o topo do telhado, são avisos de morte.
Quando as crianças começam a andar, devem subir uma escada antes de descê-la, caso contrário, elas não prosperarão na vida. Se na casa não houver escada, elas devem subir em uma cadeira.
Dizem que se alguém embalar um berço vazio, em breve um novo bebê será embalado nele. Isso explica o desespero de uma mãe de família grande quando vê um de seus filhos pequenos brincando de embalar o berço vazio! Ela correrá em sua direção para pará-lo.
É sinal de má sorte avistar a Lua Nova através de uma janela. Mas é sinal de boa sorte ver a Lua Nova com seus “chifres” voltados para cima, pois acredita-se que se estivessem voltados para baixo, reteriam a água que deve cair sobre a terra.
O costume de bater três vezes na madeira para impedir que coisas ruins aconteçam provavelmente nos foi legado pelo costume celta de tocar as árvores e abraçá-las, pedindo-lhes suas bênçãos, orientação e energia, já que os celtas nutriam grande estima e respeito por essas sábias anciãs.
Existem inúmeras superstições, crenças e simbolismos oriundos das antigas terras célticas. Esses são apenas alguns exemplos.  

A deusa que há em mim saúda a deusa/o deus que há em você!


L.M.Black

Comentários